PEQUENAS HISTORIAS





domingo, novembro 23

AVALIAÇÃO



De repente a mulher não se conteve e desatou a chorar. Do outro lado da secretária , o homem sentiu-se desconfortável.
- "É por causa do lote que se avariou nas operadoras há duas semanas , não é?" - fez um esforço por retomar a dignidade, mas a força dos soluços venceu-a.

- "Creio que a avaliação é global e não incide sobre uma situação em particular. O problema é a baixa de produtividade do último semestre. A Amélia sabe como são as regras da casa quanto aos desempenhos...". Ocupava o lugar de chefe de secção e nesse dia tinha trocado o fato e gravata por uma camisola beje de lã e calças de flanela a condizer.
- " Mas eu tenho dois filhos. Como é que me vou arranjar agora se me cortam trinta por cento do ordenado?" - A frase saiu-lhe como um protesto apesar da inutilidade da argumentação.
O homem contorceu-se. Tirou um lenço de papel e estendeu-o para ajudar a mullher a abafar as lágrimas.
- " Isto é temporário"- disse.
Conhecia Amélia há seis anos e acompanhou-a à porta. Nesses breves segundos tentou descobrir a frase certa para desanuviar o ambiente mas não se lembrou de nada. Daí por quinze dias, era a sua vez de ser avaliado. Alguém mais acima iria provavelmente repetir-lhe o que acabara de dizer, invocando os resultados da consultadoria externa. O carrasco sabia do seu destino como vítima. Talvez essa simetria fizesse dele um carrasco compreensivo, humano, idiota.


Posted by Pequenas Histórias 02:42 ||













Licença Creative Commons
Sob a Licença de Creative Commons.